noticias

Confira cinco razões para você ficar nu mais vezes

8 Junho 2017

Quantas vezes nós realmente olhamos uns ao outros ao natural e realmente nos sentimos confortáveis?




5r

Quando eu era uma estudante nos EUA, rapidamente dominei a arte de mudar de roupa no vestiário. Era predominante nos despirmos mantendo alguma peça de roupa ao mesmo tempo em que nos despiamos.

Então, quando eu acidentalmente me encontrei em um retiro de nudismo num spa nos alpes austriacos no inverno surpreendente  eu comecei a pensar sobre o meu corpo.

Eu e mais um amigo chegamos  a área de spa, que esperávamos ver toalhas brancas macias, maiôs e corpos de todas as formas e tamanhos. Mas em vez disso, tudo o que alguém estava usando era nada. Eu me encolhi meio timida

3

Olhando ao redor daquele mar de corpos nus eu senti imensa vergonha. Tenho estrias no meu quadril resultado de uma gravidez. Meu seio esquerdo é um pouco maior do que meu seio direito. Quando foi a última vez que eu raspei minhas pernas? Oh meu Deus, seios daquela mulher de 50 anos de idade são maiores que os meus. Será que o minha nadega é parecida com essa?  Deus não! Pelo menos eu me exercito. Bem, eu acho que estou mais magra do que ela. E assim por diante.

Meu amigo suspirou, olhou para mim e disse: “Eu acho que é considerado rude se não tirarmos nossas roupas.” Rude ?! Então, eu me recusei, mas depois da nossa primeira sauna, comecei a entender a lógica por trás da política de não-roupas. Eu estava seriamente superaquecida. Com uma inspiração profunda (depois de  um enorme suspiro!) Eu tirei meu top.

Meus peitos … … Lá estavam eles. Eu percebi que tinha um tempo que era mais fácil tirar a camisa na frente de um parceiro sexual, do que tendo que mostrar os meus seios em público.

Mas em vez de fixar-se nos outros, eu decidi redirecionar meu foco para o porque eu sentia tanta vergonha. Por que foi o meu primeiro impulso para comparar o meu corpo para todos os outros? Por que eu estava catalogando cada centímetro de celulite que eu vi? Por que eu estava obcecada com o quão terrível  que eu pensei que parecia?

5

Aqui estão cinco razões libertadoras porque você não deve ter medo de ficar nu:

1. “Perfeição” é uma ilusão.

Mesmo que eu esteja feliz com o meu corpo na maioria das vezes, eu ainda me sinto uma imensa pressão para parecer “perfeito”. Desde muito cedo me ensinaram como me tornar mais atraente para os homens – como flertar, usar saltos altos, saias curtas,  sobrancelhas, entupa de maquiagem, etc. E ainda, com toda a roupa.

“Imperfeição” significa que não é um objeto de perfeição, e que não é apenas verdadeiro. Cada corpo é diferente. Quando olhei ao redor do spa naquele dia não era o meu corpo que me separava de todos os outros, era a minha atitude.

2. Ser vulnerável na frente dos outros é uma coisa boa.

Na Europa – Alemanha especialmente – é perfeitamente normal tirar o maiô e ir para um mergulho nu. Indo para a sauna é um passatempo amado e é geralmente entendido que todo mundo vai estar nu. No estúdio de ioga, onde eu ensino. Descobri que ver outros corpos nus pode nos fazer sentir mais confortáveis em nossa própria pele, se estamos dispostos lidar com o desconforto e medo.

3. Quando você julga os outros, você se julga.

Eu percebi que eu estava com medo de enfrentar meu próprio auto-julgamento. Em vez de praticar a auto-compaixão. A sociedade nos ensinou a julgar e criticar, em vez de amar e cuidar de nós mesmos e dos outros.

A primeira vez que eu estava a frente de uma sala de aula de yoga como uma professora, percebi que eles não olham o que você vê nas revistas, nem eles se parecem com o que costumamos ver. Mas ainda assim era um espetáculo bonito de se ver, no entanto.

Quando você se compara com outras pessoas, é uma forma de auto-mutilação. Temos que cuidar do nosso corpo físico e emocional, e às vezes é igualmente importante – se não mais importante – ter uma rotina de fitness emocional também. A meditação é altamente eficaz para isso.

4. Quando você se sente confortável  em estar nu, você vai se sentir menos inclinados a usar maquiagem e saltos.

Eu nunca fui uma garota feminina – não é só o meu estado natural. Às vezes eu uso batom (mas a maior parte do tempo não) mas eu finalmente percebi e aceitei que perder o traje me ajudou a ficar confortável apenas sendo eu mesma.

5. Ter meu contato com a Mãe Natureza foi muito bom.

Como a neve nos picos alpinos, meu corpo também um dia ira derreter. Meu bumbum vai ficar flácido e minha pele enrugar.

A pratica da yoga me ensinou uma coisa, é que eu não sou apenas corpo e eu não sou apenas o que passa em minha mente. Tudo neste mundo é material, e está sujeito a mudanças constantes. Mesmo sentada aqui agora e escrevendo isso, meu corpo está mudando. Minha pele é uma barreira de material em torno de mim e de alguma forma tirar a roupa naquela montanha, me fez sentir mais em paz com a natureza e comigo mesma.

Por SAMANTHA ROSE, editora N

Equipe OS NATURISTAS