noticias

Eles largaram tudo em Londres para viver numa colônia naturista na Holanda

11 Fevereiro 2016

O casal Brit decidiu mudar suas vidas, e descobrir tudo na Holanda em um dos maiores campos de nudismo da Europa




7

Ao chegar a primeira coisa que vimos foi um grande par de mamas. Eles pertencem a uma mulher em um aviso num cartaz que sob nenhuma circunstância roupa de banho deve ser usada na piscina.

Meu namorado Simon e eu carregamos nossas vidas em um carro e nos conduzimos à partir de Clapham no sul de Londres para a colônia naturista Flevo-Natuur na Floresta Hulkestein nos arredores de Amsterdam.

Por que estamos mudando para lá no meio do inverno? É tudo o que podemos pagar. Em Londres, vivíamos em um apartamento compartilhado e custava quase o dobro do que estamos pagando agora, e ainda vivíamos na sujeira com ratos e caracóis. A nossa nova casa fica num dos maiores campos de nudismo da Europa e no verão atrai milhares de pessoas.

Quando caminhamos através do parque, avistamos centenas de homens, mulheres e crianças vestindo nada além de chapéus. Encontramos o nosso pequeno bungalow  pagamos menos de £ 400 por pôr mês. A colônia tem uma sensação de vila e é usada principalmente por turistas, mas também abriga muitos residentes permanentes.

2

Uma propriedade de três quartos custa  € 255.000 (£ 196,000), enquanto um bungalow pode ser comprados por cerca de € 72.000 (£ 55,000).

Nosso novo proprietário, Larz, 76-anos, explica que aqui todos se unem  como uma grande família e disse  “não se surpreendam quando em um dia ensolarado vocês encontrarem pessoas nuas lá fora , ao invés de se surpreenderem, experimente vocês mesmos”.

Nós somos os únicos britânicos aqui,  temos menos a metade da idade de todos os outros. Há mais carne a mostra do que na mansão Playboy. No mini-supermercado vejo uma dúzia de pênis e um catálogo de tamanhos de sutiãs. Eu me senti  como se estivesse numa aula de biologia interativa e é difícil não olhar.

Um homem bastante atraente  na casa dos 40 anos  não usava nada além de uma jaqueta de couro desgastada estava comprando pão, enquanto outro olhava a seção de massas.

Nós fomos criados como “têxteis” – um termo para não-nudistas utilizado pela comunidade naturista – mas talvez gostaríamos estar nu em público. Quando contei aos meus pais que eu estava se tornando uma naturista ele riram.

Depois disso, falamos  às pessoas e foi divertido. Nossos amigos do sexo masculino se preocuparam no caso de uma ereção.  A colônia aconselha  “escondê-lo com uma toalha” – e todos tiveram uma idéia diferente: Qual peça de roupa eles seriam mais inclinados a tirar primeiro, dependendo da parte do seu corpo que mais odiava.

3

Mas na colônia há regras rígidas:  Se a temperatura é o congelamento, você pode andar vestido pela colônia, mas caso seja verão as vestimentas são desaprovadas. Nos dias mais quentes há o risco de ser relatado a um membro da equipe caso você esteja vestido, então eles vão pedir que você se dispa.

Todos os adultos e as crianças estão nus. Há temores sobre o voyeurismo,  fotografia , filmagem, ou mesmo levar um smartphone ou tablet em torno do parque, é recebida com desconfiança. Vimos uma mulher ser removida de um assento à beira da piscina por usar um iPad. Hang-ups (olhar fixamente para o corpo de outras pessoas)  também são malvistos.

Eu pensei que eu deveria perder peso antes de virmos para o acampamento, mas os nudistas dizem  que é exatamente o oposto pois o  naturismo é sobre a aceitação e que não há a regra do corpo perfeito

Um dos principais argumentos para a educação das crianças em uma comunidade nudista é ensina-las a terem uma atitude realista e mais positiva da imagem corporal, desconstruindo  o efeito prejudicial  da imagem dos modelos de tamanho zero e as imagens que as revistas retocadas pode ter.

4

Levamos uma semana para obter o nosso próprio kit off, (ficarmos nus) principalmente porque fazia muito frio. E raramente a temperatura fica acima de zero e durante a noite fazia -5 ° C.

Esperamos  até sexta-feira noite, terminamos  uma garrafa de vinho, jogamos nossas roupas no chão, pegamos dois roupões do cabide e corremos  para a piscina antes de ter tempo de mudarmos de ideia.

Havia apenas duas outras pessoas nadando, dois homens de meia-idade. Nós deslizamos conscientemente até o fundo da piscina. Simon sussurra: “É como tomar um banho com amigos,  que ainda não são amigos.”

A sensação de nadar nu é emocionante, porque parece que estamos fazendo algo que não deveria ser feito. Eu não consigo superar a sensação de que estamos prestes a ser expulso da piscina – e pensar que só iria acontecer se não estivéssemos nus é bizarro.

5

Nossa epifania  (sensação profunda de realização) vem quando, depois de um mergulho e calor sufocante da sauna, caminhamos para casa completamente nus.

Estamos de acordo a transição de ferver água quente para frio e a adrenalina correndo em nossas veias, esta deve ter sido a inspiração para o nascimento do naturismo.

No espaço de uma hora, o lugar se transformou de um culto assustador para algo encantador – e nós amamos isso. No dia seguinte tomamos um banho de chuveiro e não tivemos que nos vestir depois. Eu fico na frente de uma janela enorme com vista para o resort, sentindo-se bastante orgulhosa de mim mesma.

Quando um vizinho deixa a casa em frente, eu resisto ao desejo de esconder-me atrás das cortinas e aceno para ele. Ele acena de volta.

Eu também percebo dias de lavanderia são coisas do passado.  Se quisermos sermos convertidos naturismo, nunca teremos que lavar as roupas novamente.

Mas existem perigos em estar nua o tempo todo. Depois de algumas horas, um véu roxo de frio começa a se espalhar sobre a minha pele. Eu estou muito perto do aquecedor a gás , pois pode aquecer demais e me queimar o rosto. Quando eu tento cozinhar uma omelete, o azeite da panela espirra em meu estômago.

Então eu tento encontrar um par de sapatos que correspondem a minha nudez e tudo parece ridículo. Lembro-me de muitos moradores usam meias e sandálias e me pergunto  se o nudismo é para mim. Talvez eu seja muito vaidosa. Mas Henrick, que trabalha na loja do parque, me diz que os pontos positivos superam os negativos.

6

Viver na colônia naturista mudou a forma como ele pensa sobre o corpo humano. Ele diz: “Aqui você vê as mulheres com uma cicatriz no peito ou uma cicatriz que percorre todo o caminho até o estômago, ou pessoas sem pernas ou um braço, ou que estão acima do peso que elas tem que passar de lado através de portas – e eles estão todos nus. Elas não estão nem um pouco envergonhadas,  pelo o que parece. Elas me deram mais respeito para com à humanidade.

“Ninguém é julgado por sua aparência externa, são julgados de acordo com o que está no interior. ” Henrick, que usa roupas em sua loja, acrescenta: “Como  ninguém está vestido, você não tem ideia do que outras pessoas aqui fazem para viver.

“Um visitante é um dos árbitros de futebol mais famoso da Holanda, mas ninguém sabe. Outros são diretores de banco ou milionários, que aparecem em suas BMWs e se livram de seus ternos ou roupas apertadas já no estacionamento do parque, muitas destas pessoas preferem se manter no anonimato.

“Há um homem de Manchester, que está na casa dos cinquenta, e visita o parque cinco ou seis vezes por ano. Ele diz que se sente em casa aqui porque ninguém em Manchester sabe que ele é um naturista. Algumas pessoas aqui são muito solitárias. Eles bebem muito, porque seus amigos ou parentes não vem visitá-los por causa do local onde vivem “. Há muita campanha contra o naturismo, dizem que de alguma forma é um modo de vida  obsceno e ligado a motivos sexuais.

Em 2014, Andrew Welch, gerente comercial da , BN – British Naturism, sugeriu que o Reino Unido tinha “atitudes vitorianas” (retrógradas)  em relação à nudez, após duas pessoas na Irlanda do Norte tomar um banho de rio nus, foram fichado criminalmente  e taxados de criminosos sexuais.

Original aqui, tradução editora N

1

 

 

 

Equipe OS NATURISTAS