Os laços fraternos forjados pelo nudismo
Publicado por Os Naturistas

Os laços fraternos forjados pelo nudismo

Três irmãs se separaram depois de uma infância difícil. Um clube de nudismo as trouxe de volta juntas.

Para visitar o Avatan Nudist Club em East Bethel, Minnesota, a cerca de 48 km ao norte de Minneapolis, você dirige pelo portão da frente e faz check-in com uma recepcionista no escritório. Ela pode ou não estar vestindo roupas. Você se despe ao lado do seu carro. Então, talvez na companhia de um par de guias turísticos nus amigáveis, você caminha pela estrada que circunda o acampamento. Você passa pela cabana principal, por uma piscina e pelas cabanas de verão bem conservadas dos membros. Pessoas nuas estão jogando, consertando um telhado, montando um carrinho de golfe. A maior parte do acampamento é silenciosa. As pessoas vêm e vão durante o verão, algumas ficando por dias, outras por meses. A vida aqui é lenta e pacífica.

Na primeira curva esquerda da estrada, um trio de trailers domésticos fica lado a lado em uma clareira. Três irmãs ocupam esses trailers como vizinhos a cada verão – Nanette, 68; Denise, 63 (com o marido, Al); e Juliette, 56. (Eles pediram para ser identificados apenas por seus nomes, porque Avatan proíbe que os membros compartilhem seus sobrenomes uns com os outros.) As irmãs comem juntas, ajudam nos reboques umas das outras ou passam tempo com os vizinhos, como o médico que escreveu um livro sobre observação de pássaros enquanto estava nu.

As irmãs estão nuas e próximas. Uma tem a ver com a outra. Vinte anos atrás, eles se sentiam distantes uma das outras, o resultado de crescer no caos de uma família arruinada pela bebida, palavras cruéis e lembranças ruins. Naquela época, Nanette, Denise e Juliette se viam apenas nos feriados. Dizem que parecia ser melhor assim.

Hoje, vivendo juntas na Avatan na maioria dos finais de semana durante o verão, elas se vêem muito – mais do que a maioria dos irmãos – e elas têm um relacionamento diferente. Tirar suas roupas e viver em companhia uma das outras as ajudou a perder a dor. O nudismo, dizem elas, salvou sua família.

Denise e Al mantiveram isso em segredo de suas famílias quando começaram a explorar o nudismo em seus 40 anos em meados dos anos 90. Elas tentaram praias ou lagoas de roupas opcionais em torno das cidade e, em seguida, descobriram o Avatan. “Era como o Jardim do Éden”, diz Denise.

Três meses depois da primeira visita, elas compraram e montaram um trailer. Estar nu em uma comunidade nudista as libertou das ansiedades e timidez sobre seus corpos. “Eu poderia ficar nua agora, e não me sentiria  julgada”, diz Denise. “Eu ganhei esse conforto em mim mesmo através do nudismo.”

Este slideshow necessita de JavaScript.

Onde o nudismo decolou

Quando as irmãs estavam crescendo, seus pais, Marie e Bob, brigavam com frequência. A família não podia comprar um carro e Bob bebia o leite das crianças. Marie e Bob acabaram se divorciando quando Juliette tinha 11 anos. Depois disso, Juliette cresceu em um pequeno apartamento com Marie, uma alcoólatra, e estava sempre perto do namorado habitualmente intoxicado, diz Juliette,  Denise e Nanette saíram de casa aos 18 anos. Juliette se ressentiu por deixá-la com uma mãe alcoólatra por nove anos.

À medida que envelheciam, as irmãs levavam vidas separadas. Nenhuma deles ganhou muito dinheiro e todos experimentaram dificuldades. “Eu estava em uma vida de alcoolismo”, diz Juliette, mas Nanette e Denise evitaram o consumo de álcool. Mesmo assim, “elas não tinham ideia do quanto eu bebia”. Elas não tinham ideia ”, diz Juliette. Ela passou por seus anos de juventude até a vida adulta com a ajuda de cocaína e sexo, mas ela se lembra de “nenhuma fantasia divertida, nenhuma mágica” em sua vida.

Enquanto isso, Denise se casou com um homem alcoólatra e abusivo – “um bêbado malvado”, como Juliette o chama – antes de se divorciar e encontrar Al. Nanette ficou viúva, divorciou-se, criou um filho como mãe solteira e se enterrou em seu trabalho. A ligação entre irmãos ficou tão escassa que os funerais familiares fizeram com que Juliette tivesse uma oportunidade para ver suas irmãs.

Quando Denise e Al se juntaram a Avatan, não tinham certeza se queriam contar a Nanette e Juliette. Eles temiam que as irmãs de Denise pudessem reagir de maneira estranha ou ridicularizar seu novo hobby. Então eles esconderam seu nudismo de Nanette e Juliette. Quando Denise perdeu uma reunião de família porque estava em Avatan, Al cobriu-a dizendo que estava no dentista.

Durante todos os anos em que esconderam a vida da família, Juliette suspeitava que sua irmã e seu cunhado eram nudistas. Ela começou a conversar com Denise e Al sobre seus hábitos de dormir nua e correr pela casa nua. Juliette até disse a eles que queria conhecer um acampamento de nudismo quando ela tinha 40 anos. Denise lentamente começou a entender a mensagem.

Em 2006, depois que Juliette ficou sóbria por cinco anos, Denise e Al decidiram revelar seu segredo para ela. Denise foi ao cabeleireiro onde Juliette trabalhava e disse: “Quero trazer você para algum lugar. Al e eu queremos te levar a algum lugar no fim de semana do Dia do Trabalho. É uma espécie de resort.

“O que devo levar?” Juliette perguntou.

“Uma toalha”, disse Denise. Juliette achou aquilo estranho, começou a ficar nervosa e perguntou: “Esse lugar é nu?”

Ao estender esse convite a Juliette, Denise estava fazendo o que muitos irmãos afastados não podem se obrigar a fazer. Para reconciliar com sucesso, “alguém tem que assumir o papel de liderança de realmente tentar fazer acontecer”, diz Joshua Coleman, um psicólogo, escritor e membro sênior do Conselho de Famílias Contemporâneas. “Eles precisam estar motivados o suficiente para seguirem o caminho certo e não ficarem atolados por queixas de longa data, se há rivalidades entre irmãos, ou feridas não resolvidas desde a infância, ou conflitos não resolvidos desde a idade adulta.” Ao contrário de Denise, a mais prejudicada os irmãos acabam indo para o para o túmulo sem fazer esse movimento, acredita Coleman.

Denise e Al levaram Juliette para Avatan naquele fim de semana de feriado. Muitos membros já tinham ido para casa e o acampamento estava quieto. Ela adorava o trailer confortável, caseiro e cafona de Denise e Al, então, no fim de semana seguinte,  Juliette alugou uma pequena cabana para ficar ali por vários dias. “Eu apenas tirei minhas roupas e coloquei minha pequena canga, saí pelas portas da cabine, respirei fundo e lá estava eu”, diz Juliette. “Eu me tirei do mundo real naquele fim de semana.” Ela ainda tem fotos dessas primeiras viagens. “Oh meu Deus, que fofa eu era”

Mas como ela passou mais tempo na Avatan, ela foi confortada pelo fato de que ninguém ali tem um corpo perfeito. “Isso só me garante que não somos perfeitos”, diz ela. “Eu acho que precisamos de lembretes de como não somos perfeitos.”

Em 2006, quando um amigo de longa data da Avatan morreu, Denise e Al herdaram seu trailer. Eles se mudaram para lá e deram a Juliette a antiga. Gradualmente, constantemente, Denise e Juliette estavam se aproximando. Eles agora tinham uma gangue de amigos em comum. Eles passaram um tempo juntos e se expuseram um ao outro. Mas eles ainda mantinham o segredo de Nanette.

Três verões passaram. Nanette estava trabalhando em Kansas City, Missouri, e não parecia ter tempo para amizades. Denise e Juliette tinham certeza de que encontrariam muitos amigos na Avatan. Finalmente, eles a convidaram para uma praia de nudismo na Flórida como teste. Nanette adorava estar nua ao ar livre. Então eles fizeram sua grande jogada quando o Quatro de Julho se aproximou. “Você quer vir para um porco assado comigo e com Al e 300 dos nossos amigos?” Denise se lembra de ter perguntado a Nanette. Ela não mencionou que os amigos eram nudistas. Nanette então concordou em visitar.

Quando Denise levou Nanette ao acampamento, eles imediatamente cruzaram com dois membros em uma bicicleta tandem, ambos 100% nus. Nanette notou. “Oh meu Deus, Denise, esta é uma pessoa nua”, disse ela. Eles continuaram pelo acampamento até que Nanette avistou uma mulher nua deitada no convés. “Essa é nossa irmã! Nanette chorou.

“Ela tem um trailer aqui, e esse é o trailer dela”, Denise disse a Nanette. “Eu e Al estamos bem ao lado dela.”

“O que? O que? Nanette continuou perguntando.

“Eu sabia que ela ficaria bem”, diz Denise, e Nanette tirou as roupas e se encaixou. Juliette concorda: “Ela não tinha vida social. Ela era como uma criança em uma loja de doces.

“Ela sorriu naquele dia, nunca parou de sorrir”, acrescenta Juliette.

Nanette comprou o trailer de um membro que morreu em 2011. Agora as irmãs tinham três casas de verão em fila, em seu próprio canto do campo.

E foi assim que sua nova rotina como irmãs começou. Estar juntos, nus, “me senti completamente normal”, diz Juliette. Juliette e Nanette geralmente ficavam no Avatan todo final de semana. Denise e Al se juntaram a eles a cada dois fins de semana, voltando para uma festa de dança ou comida.

Eles marcharam em um desfile de acampamento como Charlie’s Angels. Para a dança dos membros, eles compraram camisetas que diziam que se você acha que eu sou uma vadia, você deveria conhecer minha irmã e ir junto. Nas festas, eles fizeram o que chamam de Sister Act, abençoando amigos como freiras nuas. Eles vivem para o coquetel da tarde de Avatan (embora Juliette permaneça sóbria).

Sem Avatan, Denise, Juliette e Nanette dizem que provavelmente teriam vivido separadamente. Feridas familiares poderiam ter continuado a infeccionar. Elas ainda brigam “geralmente pela atenção um do outro”, diz Juliet. “Mas não há nada que minhas irmãs possam fazer para mim eu jamais viraria as costas para elas agora.”

O nudismo os trouxe de volta juntos. “Acampamento é o lugar divertido, e uma vez que estamos do outro lado dos portões, deixamos tudo para trás”, diz Juliette. “Nós temos férias todo final de semana. Nós chamamos isso de tempo Avatan. Estar nu e fazer todas essas coisas juntas – não poderíamos estar mais perto do que isso ”.

“Somos três cabeças em um só corpo”, diz Nanette. Juliette concorda:“Eu amo minhas irmãs”

Via The Atlantic, editora N

Equipe OS NATURISTAS

Licença de atribuição Creative Commons