noticias

Projeto da fotógrafa Maíra Suarez com intuito de dessexualizar o nu através de ensaios fotográficos de famílias

29 Março 2017

Aprender a se relacionar de maneira natural com a nudez é também construir uma relação de confiança com o próprio corpo.




6

É ter referências reais e não “globais” para se espelhar, é perceber que cada dobra, cada músculo, cada marca, cada cicatriz, fazem parte de um conjunto que funciona harmonicamente para nos trazer bem estar! e, sim!, nos faz feliz no dia a dia.

É perceber que podemos usar esta poderosa ferramenta – que é o nosso corpo – a nosso favor. e que, no fundo, o que menos importa nessa história toda é seguir um padrão de beleza que não existe – que nos exigem. Porque a gente convive e acha lindo o corpo nu daquele pessoa que a gente tanto ama, com todos os (não)defeitos que ela pode ter.

E, este amor, se reflete em nós. ou melhor, é o amor por nós a se refletir nas nossas relações com o mundo. de dentro pra fora, de fora pra sempre. numa relação de troca empoderadora. Isto influencia diretamente a nossa forma de fluir pelo mundo… sem vergonhas… naturalmente.

E a gente aprende (desaprendendo) que ver o que nos obrigam a esconder não nos dá o direito de sair “agarrando” (não apenas literalmente) ninguém por aí… muito menos aceitaremos a ideia de nos sentirmos “responsáveis” por atrair olhares e reações abusivas vindas de quem não consegue enxergar @ outr@ com respeito para além de roupas/maquiagens/padrões de beleza.

“O corpo não é templo, casa nem prisão”… o corpo é uma festa!
“vamos nos permitir…” ❤

É isto que queremos para as nossas filhas. um mundo melhor é também um mundo nu! as roupas nos servem e não o contrário.“
(Lara Andrade, Salvador – Brasil)

Via Des Nu, editora N

Equipe OS NATURISTAS