Barbearias onde clientes e funcionários estão nus
Publicado por Os Naturistas

Barbearias onde clientes e funcionários estão nus

Empresário se inspira em praias de nudismo e abre barbearia com clientes e funcionários sem roupa

Foi pensando nos nudistas ortodoxos, daqueles que desejam fazer toda e qualquer coisa sem roupa, que o empreendedor Rodney Araujo decidiu levar o espírito de uma praia de nudismo para dentro de seu negócio.

Aos 28 anos, o cearense criou em Fortaleza a primeira barbearia nudista, oferecendo os mais diversos serviços típicos dos salões com esse determinante diferencial: o atendimento é oferecido funcionários completamente nus. Inspirado por sua experiência nas praias, Araújo inaugurou a Barbearia pelada há 9 meses, e já possui duas filiais na capital.

Antes de inaugurar a Barbearia pelada, no passado Araújo tinha um centro de estética e bronzeamento para homens e mulheres vestidas.

A ideia de tirar a roupa de funcionários e clientes surgiu da necessidade de ser reinventar a partir do lockdown imposto pela pandemia – a pergunta sugerida pela novidade era uma só: se existe praia de nudismo, por que não podem ser oferecidos outros serviços naturistas? O jovem buscou um amigo barbeiro que topou a empreitada, encontrou funcionários que também aderiram à aventura, e decidiu começar o inusitado empreendimento.

As primeiras divulgações comprovaram que a intuição de Araújo parecia estar certa, e que havia publico para a Barbearia Naturista – rapidamente muita gente agendou uma primeira visita, e um público fiel começou a ser criado.

Como seria de se esperar, a novidade também atraiu muitas críticas, preconceitos e até mesmo difamação – Araújo revela que dava aula de dança na comunidade em que vivia quando criou a barbearia, e as primeiras entrevistas sobre a novidade fizeram com que até mesmo alguns alunos se voltassem contra ele, que vem de uma família evangélica.

As críticas e reações negativas não inibiram o sucesso do empreendimento, que hoje oferece cortes de cabelo, barba, banho de lua, depilação, limpeza de pele e massagem, entre outros serviços, em duas filiais, uma no Bairro Parangaba e outra na famosa Praia de Iracema – enquanto os clientes tem a opção de ficarem nus, de cueca, toalha ou roupão para serem atendidos, os funcionários trabalham sempre sem roupa.

E as regras são claras: não é permitido tocar os funcionários, nem fotografar ou filmar o ambiente – os celulares, portanto, são proibidos – e é obrigatório que o cliente saia da Barbearia com a barba, o cabelo, a pele e o espírito melhores do que quando entrou.

Nota do Portal OS NATURISTAS – Achamos um erro intitular a barbearia de naturista, o naturismo abrange tanto homens como mulheres, portanto devia ser um espaço misto,  no vídeo acima podemos constatar que o cliente que esta fazendo a barba esta sentado diretamente na cadeira de barbeiro sem nenhuma proteção, ou seja deveria se sentar sobre uma canga ou toalha, a seguir vimos o empresário fazendo massagem em outro cliente sem uma canga ou avental, note que o pênis do empresário encosta na mão do cliente, não somos contra a barbearia para nudistas, mas para se intitular naturista algumas regras deveriam ser respeitadas.

Barbeiro peladão é sucesso por cortar cabelo totalmente nu

O barbeiro Rafael Rosa, de 25 anos, está chamando atenção nas redes sociais e atraindo clientes de várias partes do Brasil para São Paulo, tudo porque ele corta o cabelo de seus clientes com pouquíssima roupa ou totalmente nu .

A ideia surgiu ano passado e um vídeo do rapaz cortando o cabelo de um amigo tornou a sua inusitada forma de atendimento muito conhecida. “Eu já tinha feito ensaios fotográficos de nu artístico e daí surgiu a ideia de cortar o cabelo dessa maneira e logo começou a aparecer clientes interessados no meu serviço.

A primeira vez cortei usei um jockey, não estava totalmente pelado, e, desde então, esse estilo se tornou frequente”, afirma o barbeiro. Com tanto interesse, Rafael precisou tabelar as formas como corta o cabelo e o valor do serviço depende do que o cliente procura.

O profissional cobre R$ 60 para fazer um corte vestido, R$ 80 para um corte usando jockey, cueca ou avental e para ficar totalmente nu o valor é R$ 120. Para fazer a barba, os valores são diferentes: vestido custa R$ 40, com as peças íntimas ou avental é R$ 60 e nu é R$ 80.

Rafael conta que cada cliente tem uma reação diferente a nudez e isso torna tudo mais interessante. “Tem gente que vem mais interessada em ver e vivenciar isso, mas tem clientes que ficam nus também, vai de pessoa para pessoa, umas são mais desinibida e outras mais tímidas. Tem gente, por exemplo, que começa só de cueca e depois tira quando se sente à vontade.

Posso dizer que a maioria dos clientes também fica nu.” Como a nudez ainda é vista como um grande tabu, essa forma de cortar o cabelo é muitas vezes sexualizada e, por isso, Rafael já passou por situações um pouco desagradáveis. “O assédio acontece sim, mas a maioria dos clientes me trata com respeito”

Redação editora N

Equipe OS NATURISTAS